quarta-feira, 27 de junho de 2012


PIPAS FORAM CRIADAS PARA RASGAR OS CÉUS E ENCANTAR CORAÇÕES

           

                As tardes de domingo no parque são de alguma maneira bem freqüentadas. Famílias, casais de namorados, crianças, grupos de amigos e pessoas solitárias. O descampado verde, a possibilidade de fuga da cidade, a colina, a encosta, o céu azul e aberto, flores e lagos... Cenário convidativo.
            Certa vez, em um parque bem distante, um garoto passeava. Era tarde de outono ensolarada. O vento tocava levemente a face das pessoas e renovava sorrisos, serenidade, sonhos...
                Um movimento típico daquele parque era o hábito de soltar pipas. O garoto estava ali olhando as pipas de longe que rasgavam o infinito céu, encantado. Ele pensou: “se ao menos eu tivesse uma pipa, acho que eu até daria corda para ela. Na verdade, ele queria uma pipa para soltar.
                Até que um anjo, daqueles que também vão ao parque como eu você, apareceu ao lado do menino. Aquele anjo tinha forma de homem, com fala de amigo, jeito de pai. Sim, o anjo era um homem.
                Perguntou o homem ao menino: - Você gostaria de ter uma pipa? Claro que queria, mas ficou emudecido com as bochechas rubras, não disse uma palavra sequer, sua postura era rígida, tensa.
                Então o gentil homem percebendo o que acontecia, começou a soltar a sua pipa no horizonte vasto abaixo da colina. Uma cena linda de ver, manobras mágicas colorindo o céu roubava a atenção dos que estavam próximos. Era nítido que aquele homem sabia com propriedade o que estava fazendo ao dar corda para a pipa.
                Em um dado momento o menino se rendeu e pegou o carretel, ao sentir que poderia dar corda a pipa, ensaiou um sorriso. Aos poucos foi se permitindo e agora já fazia até algumas boas manobras nos ar.
                Mas pipas podem arrebentar e cair... Quem nunca arrebentou sua própria pipa, ou teve sua pipa arrebentada pelo tempo ou pelo outro?
Pois é, com o menino não foi diferente. Sua pipa arrebentou e caiu.
                Ele ficou extático, era algo novo, não sabia o que fazer. Então o bom homem que continuava por ali, perguntou:
                - Menino, quer que eu resgate sua pipa? Eu pego a pipa para você. Por você eu pego até mil vezes por quantas você quiser. E o homem subiu a encosta contente com a sua missão e trouxe a pipa de volta para o menino. Agora é só você voltar a dar corda.
                O nosso coração é como uma pipa que existe para ser dado corda e rasgar o céu. Às vezes temos medo de soltar a pipa e perdê-la. Não deixe que seu medo roube a certeza de que o Homem vai aparecer para te ajudar a dar corda e para resgatá-la quando cair.
                Pipas não foram criadas para ficarem encaixotadas. Por mais linda que seja a sua caixinha, nada se compara com a possibilidade de rasgar o infinito céu e devolver vida aos corações.

Inspirado na obra literária:
“O caçador de pipas”  Khaled Hosseini adaptado por Kezzia Cristina. 10/05/2012

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Li tudo, cada texto, cada frase, cada linha de palavra. Queria comentar em tudo, dizer o que pensei...

    Mas nenhuma palavra agora expressaria o que estou sentindo nem faria jus ao quão profundamente suas palavras me tocaram, me alcançaram, mudaram coisas em mim...

    ResponderExcluir